Outubro rosa: conscientização sobre câncer de mama

Outubro Rosa: ficar íntima de seus seios pode prevenir o câncer de mama

Você conhece seus seios e os examina com frequência? Segundo uma pesquisa da Revista de Saúde Pública, pelo menos 4.000 casos de câncer de mama não foram diagnosticados por conta da pandemia. Afinal, as mamografias feitas por mulheres entre 50 e 69 anos caíram em 42% de 2019 para 2020.

Por isso, o Vivalocal se uniu à campanha Outubro Rosa para aumentar a conscientização sobre o câncer de mama e a importância de se tornar uma amiga íntima dos seus seios e examiná-los com frequência.

Saúde e trabalho sexual

Muito se fala sobre a discriminação que profissionais do sexo sofrem ao buscar atendimento médico, justamente por causa de suas profissões. Por isso, muitas vezes, são desencorajados a buscar atendimento de profissionais de saúde, assim como prosseguir com os tratamentos.

No caso de profissionais do sexo transgêneros e de minorias étnicas, além da discriminação pelo trabalho, há ainda a discriminação racial e de gênero. Isso dificulta ainda mais o acesso à saúde de qualidade.

No entanto, sua saúde deve ser sua prioridade e não pode ser deixada para trás por conta desses estigmas. E, para te ajudar a estar sempre de olho nela, neste Outubro Rosa vamos contar tudo que você precisa saber para se prevenir contra o câncer de mama.

Leia também: Vida pessoal e profissional: como acompanhantes podem encontrar um equilíbrio

O que é câncer de mama?

O câncer de mama é um tipo de câncer que se encontra no tecido mamário. Ele acontece quando certas células nos seios começam a crescer descontroladamente e formam um tumor. Ele muitas vezes pode ser visto em um raio-x, ou sentido como um caroço no seio.

O câncer de mama pode começar em diferentes partes da mama, que é composta por três partes:

  • Lóbulos: glândulas que produzem leite
  • Dutos: pequenos tubos que levam o leite ao mamilo
  • Tecidos conjuntivos: tecidos fibrosos e gordurosos que circundam o seio e mantêm tudo no lugar

Na maioria dos casos, os dutos são onde o câncer de mama começa. Além disso, é possível que o câncer de mama se espalhe para fora da mama e outras partes do corpo. Por isso, detectá-lo o mais rápido possível é tão importante.

Na maioria dos casos, esse tipo de câncer acomete mulheres. No entanto, ele também pode aparecer em homens.

Câncer de mama é comum?

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de mama é o mais comum em mulheres no mundo todo: estima-se que surgiram 2,3 milhões de novos casos em 2020, que foram 24,5% dos casos de câncer em mulheres. No Brasil, a estimativa para 2021 é que haverão mais de 66 mil novos casos.

Deu para perceber que é essencial conhecer os sintomas e ficar de olho em seus seios, né? O autoexame é o primeiro passo para a detecção de um câncer de mama, mas não é o único. Afinal, há nódulos pequenos que podem ser detectados ainda mais cedo com uma mamografia. Por isso, fazer seus exames de rotina regularmente é tão importante.

Exames de rotina ajudam a prevenir o câncer de mama

Sintomas de câncer de mama

Os sintomas que podem indicar a existência de câncer de mama são fáceis de detectar. No entanto, você deve ficar de olho neles! Afinal, quanto mais cedo forem descobertos, mais cedo você poderá procurar um médico e, se for o caso, iniciar o tratamento.

Os sintomas mais comuns de câncer de mama são:

  • Nódulos, seja na mama ou nas axilas
  • Secreção, sangue ou outras substâncias saindo dos mamilos (que não sejam leite materno)
  • Inchaço em qualquer parte da mama
  • Dores na mama ou mamilo
  • Mudanças no tamanho ou formato do seio
  • Mudanças na textura da pele, incluindo vermelhidão, irritação ou descamação (um aspecto de casca de laranja)

Examinar seus seios regularmente não apenas ajuda a detectar os primeiros sintomas do câncer de mama, mas também te dá mais consciência de seu corpo. Dessa forma, se alguma coisa mudar, você poderá notar rapidamente. E você pode fazer isso tudo em casa, sozinha, em apenas alguns minutos, com um autoexame. Continue lendo para saber mais sobre ele!

Causas do câncer de mama

É impossível apontar exatamente o que causa o câncer de mama. No entanto, existem fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da doença. E você pode tomar medidas para evitá-los e preveni-la.

Estes são alguns deles:

  • Sedentarismo: não praticar exercícios regularmente pode aumentar seus riscos de câncer de mama
  • Maus hábitos alimentares: uma dieta com muita gordura saturada e poucos vegetais pode levar a muitos problemas para sua saúde, incluindo câncer de mama
  • Álcool: beber demais causa muitos danos à sua saúde, incluindo um maior risco de câncer
  • Radioterapia: submeter-se a radioterapia frequente com menos de 30 anos também pode aumentar seus riscos
  • Terapia de Reposição Hormonal (TRH): prescrita para a menopausa, ela pode aumentar o risco de desenvolver câncer de mama. Além disso, também pode fazer com que ele demore mais para ser detectado

De acordo com a Fundação Nacional para o Câncer de Mama, uma organização americana, entre 60% e 70% das pessoas que desenvolvem esse tipo de câncer não têm nenhum desses fatores de risco. Por outro lado, pessoas que têm alguns deles podem nunca ter a doença.

Câncer de mama: há fatores que não podem ser controlados

Fatores que não podem ser controlados

Em outras palavras, mesmo que você tome todas as medidas possíveis para prevenir o desenvolvimento do câncer de mama, existem outros fatores.

Veja alguns deles:

  • Gênero: a maioria das pessoas afetadas pelo câncer de mama são mulheres. No entanto, não é impossível que homens desenvolvam a doença
  • Idade: cerca de 80% dos casos de câncer de mama ocorrem em mulheres com mais de 50 anos, mas também pode ocorrer em mulheres mais jovens
  • Etnia: o câncer de mama é diagnosticado com mais frequência em mulheres brancas
  • Fatores genéticos: pessoas que tiveram casos de câncer de mama na família têm maior risco de desenvolver a doença. Então, se você tem histórico de câncer de mama na família, pode fazer um teste genético para identificar mutações nos genes BRCA1 e BRCA2, que estão relacionados ao câncer de mama
  • Saúde pessoal: ter tido câncer em uma das mamas indica um risco maior de desenvolver a doença novamente na outra mama. Além disso, ter menstruado antes dos 12 anos, entrar na menopausa depois dos 55 anos, nunca ter tido filhos ou ter filhos com uma idade mais avançada também aumentam o risco
  • Tecido mamário denso: esta condição torna os caroços mais difíceis de detectar, mas também aumenta o risco. Peça ao seu médico para verificar se é seu caso durante uma mamografia
  • Obesidade: embora a obesidade não seja um sinal de falta de saúde, ela pode aumentar o risco de câncer de mama. Para mulheres que já passaram pela menopausa e são obesas, o risco é ainda maior

Como fazer o autoexame

O autoexame do seio é importante para ajudar na detecção precoce do câncer de mama, aumentando as chances de sobrevivência. No entanto, não é o único, e não descarta outros exames importantes, como a mamografia, que pode ajudar a detectar a doença em estágio inicial.

Embora não haja uma maneira certa de fazer o autoexame, veja algumas orientações sobre como fazê-lo em 5 passos simples:

  • No espelho, examine visualmente seus seios com os ombros retos e os braços ao lado do corpo. Busque alguma alteração, como uma diferença no formato dos seios ou dos mamilos
  • Depois, levante os braços e verifique novamente. Além disso, repare se tem algum líquido escorrendo de seus seios (por exemplo, algo com aspecto aguado, sangue, etc)
  • Agora, repita a etapa 1 com as mãos nos quadris
  • Em seguida, mantendo os dedos retos e unidos, use as pontas para pressionar os seios. Faça uma pressão leve, mas firme, incorporando pequenos movimentos circulares para cima e para baixo. Use a mão direita para sentir o seio esquerdo, e vice-versa. Certifique-se de cobrir todas as áreas, da clavícula ao topo do abdômen, e da axila ao decote. Muitas mulheres acham isso mais fácil no banho, enquanto a pele está molhada e escorregadia
  • Por fim, deite-se de costas e repita os movimentos da etapa 4

Como fazer o autoexame de câncer de mama

Tratamento de câncer de mama

Existem vários métodos que são usados no tratamento desse tipo de câncer, de cirurgia (inclusive a mastectomia, que é a remoção do seio), radioterapia e quimioterapia, além de terapia hormonal.

No entanto, o tipo de tratamento depende de vários fatores, como o estágio e o grau do câncer, sua saúde geral e se você já passou pela menopausa.

Por isso, é indispensável manter seus exames de rotina em dia e seguir as orientações do seu médico ou sua médica para encontrar o melhor tratamento para você.

Organizações de apoio a pacientes de câncer de mama

Também existem muitas organizações às quais você pode recorrer para obter orientação e apoio. Elas oferecem ajuda sem julgamentos e livre de preconceitos para quem estiver preocupada com a possibilidade de desenvolver a doença ou foi diagnosticada.

Veja algumas dessas associações:

Há muitas informações on-line, e ter conhecimento é o primeiro passo para entender melhor a doença e identificar os sinais. Não se esqueça: sua saúde deve estar em primeiro lugar. Então, faça sempre seus exames de rotina e, se tiver alguma dúvida ou encontrar algo de diferente, procure um médico imediatamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Related Posts

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Back To Top